sábado, 2 de maio de 2020

quarta-feira, 22 de abril de 2020

terça-feira, 31 de março de 2020

domingo, 6 de outubro de 2019

ENQUETE SOBRE HUMOR SINDICAL


Mesa-redonda com Adriano Diogo, Betania Dantas e Bira Dantas na UNIFESP -Guarulhos "Educação em tempos de Resistência (Mobilizações e criações na cidade). Como se fala hoje em dia, "vou desenhar pra você entender"... A importância da charge e das tiras nos jornais e boletins sindicais.


Vitor Menezes, jornalista do Sindipetro-NF
1. Qual o papel da charge e da tira em quadrinhos na comunicação com os trabalhadores?
- A charge, que utilizamos em nossos boletins sindicais e publicações especiais, tem um papel de concentrar de modo lúdico uma informação forte da semana. É muito mais que mero adorno. Ela funciona como se fosse o principal tiro semântico que gostaríamos de dar em um determinado contexto. Neste sentido, no boletim, por exemplo, é parente próxima do editorial, que procura dar, em outra linguagem, o principal recado da semana. Quanto às tiras, poderíamos usar mais, fica uma questão para pensar. Por enquanto, elas aparecem mais em publicações especiais. Mas seria muito bom também contar com seções de tiras em nossas publicações.


2. Qual é a importância da charge?
- Elas potencializam a comunicação. Têm uma força muito grande por reunir em um só esforço discursivo uma quantidade grande de significações. Uma mesma imagem, com poucas palavras, consegue despertar para a consciência de algo que talvez fosse necessário um livro inteiro para fazê-lo. Além disso, faz isso com humor, que é uma estratégia muito eficaz (chega a ser perniciosa) de envolvimento do receptor. Fazer rir é exercer poder sobre alguém, como já ensinou Bergson. Então, numa disputa de narrativas e aonde a comunicação precisa levar a alguma ação, como é típico da vida sindical, os recursos das charges e das tiras são contribuições essenciais.


3. Qual o alcance da charge nas redes sociais?
- Não saberia dimensionar. Posso apenas supor pela experiência pessoal na relação com as redes e pela grande frequência com que as recebo e as compartilho. As charges parecem ter sido criadas para as redes. Se não existissem seriam inventadas agora. São memes muito antes dos memes. Concentram imagem, humor, polêmica e pouco texto, características perfeitas para o ambiente das redes sociais.


Zenaide Rodrigues Mangoline, empregada doméstica e comerciária.
1- Através das charges nós, trabalhadores, somos informados dos nossos benefícios.
2- Com as charges os trabalhadores são informados de uma maneira clara sobre seus direitos.
3- Podemos visualizar as charges através de sites, facebook e Instagram.
4. Os temas das charges fazem parte do seu cotidiano?
- Sim, passamos por várias situações iguais no nosso dia a dia.
5. São de fácil compreensão?
- Sim.
6. São engraçadas ou não?
- São super engraçadas e irônicas.


Claudio Maca, artesão de estojos e "cases" de couro, professor de Aikido.
1. A charge tem um papel de grande relevância, pois traz informações, estímulos e provocações para as mais diversas categorias.
2. A principal importância é a de levantar questões da atualidade de maneira simples de se entender e com bom humor.
3. Acredito que ainda seja pequena, pois não vejo muitas nas minhas redes.
4. Sim, na área político-social e humor.
5. Sim.
6. Na maioria das vezes sim.


Jose Roberto Delboni, ex-dirigente do Sindicato Eletricitários Campinas, eletricista, engenheiro elétrico.
- Charge está ligada ao humor. E se o humor for inteligente com uma sacada que ninguém percebeu ainda, então é similar a um filme de humor dirigido por Woody Allen. A charge é importante quando é rápida em tratar um instante ou momento político. Ela é uma resposta rápida a um desmando e torna-se educativa. Ela desnuda o poder e pode apontar saídas. Ela torna-se uma leitura econômica e informa preguiçosamente. Uma imagem pode ajudar a formar uma opinião muito mais que um monte de palavras. Sempre achei fundamental um boletim com aquela figurinha que deixa tudo mais leve e atrativo. Quando lia a FSP sempre começava pelas tirinhas... Se tivesse saco, lia outras coisas. A charge só não pode ser óbvia porque perde a graça. Quando vejo uma charge numa rede social ela pode obrigatoriamente me parar e fazer rir, dependendo da qualidade. A charge fora do papel, para competir com tantas imagens, tem que compensar pela imaginação e humor. Me lembro que na CPFL os trabalhadores ao receberem os boletins do sindicato viam primeiro as charges e depois liam o texto, ainda assim se esses fossem pequenos. Digo com certeza que a charge é uma marca registrada do boletim e passa -depois de algum tempo- a fazer parte do dia-a-dia do trabalhador, mesmo que ele não saiba disso.


Denise Tavares, jornalista, professora de Mídia e Cotidiano na UFF Niterói.
- A charge consegue aliar uma grande capacidade de síntese e, quase sempre, é irônica ou faz rir. Consegue, assim, ser de fácil comunicação. Ou seja: quando a questão é para ser comunicada de forma imediata, a charge é perfeita. Então, ela ocupa um papel fundamental nos processos em que a comunicação de um fato ou de uma posição precisa ser imediata. Como ela é irônica ou faz rir, ela também faz pensar, quebra a leitura óbvia, o senso comum. O que já nos coloca na questão educacional: ela educa, na medida em que quebra um discurso consolidado, que já nem é questionado. Aí vem a charge e muda isso. Finalmente, nas redes sociais elas ganharam uma releitura que são os "memes". Como uma espécie de "primo" da charge, os memes trouxeram às charges de volta ao primeiro plano da comunicação. Com a vantagem da charge ser mais profunda e, nesta perspectiva, mais duradoura. Além de exigir, também, domínio artístico, algo que os memes não exigem.


Elias Aredes Jr, jornalista do Sinergia SP CUT, blogueiro, radialista e comentarista de futebol.
- O papel da charge na comunicação com os trabalhadores é fundamental pois estabelece pontes num país onde se tem baixos índices de leitura, em que a capacidade de compreensão e interpretação de texto é escassa. A charge sindical é fundamental para que as entidades de classe consigam transmitir aquilo que desejam para a categoria, até entre as pessoas com formação e ensino superior. Acaba queimando etapas de uma forma positiva, por usar o Humor como mensagem direta e por criar uma nova linguagem neste mundo totalmente globalizado e digital. Hoje todos se comunicam por intermédio do telefone celular. Às vezes é muito difícil que a pessoa se interesse em ler um texto sobre seus problemas no local de trabalho, mas ele adere rapidamente se receber uma charge pelo celular. Então, a charge na comunicação sindical é essencial!

sexta-feira, 4 de outubro de 2019